CINEMA,QUADRINHOS E TV

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Desonho

A desonra,a perversão e o descontentamento,podem ser ocultos com um belo sorriso.
-Moradores/Heréticos de Desonho.

O Falso livre-arbítrio,dá ao indivíduo,uma autonomia enganosa.Mas,com essa premissa dissimulatória em sua mãos,O Ser,tem para consigo mesmo,que as rédeas da vicissitude,estão sob sua tutela.
Impuros ou covardes,são aqueles que não creem nessa ilusão sobre a realidade.
Lutar ou mudar,equivale apenas a uma parcela contra um conglomerado sistemático.
Impostos ou acordados entre as"autoridades".
"Supremacia" e/ou "Império" vigente.

Os Moradores de Desonho,aprenderam ao longo dos anos,o valor que o nome de sua cidade tem para com suas vidas.
Sonhar é bom,mas esquecer os belos sonhos,os devaneios despertos,ou mesmo áqueles inseridos em mentes através de uma Subconsciência em repouso,é sinônimo de sobrevivência.
Trabalhar contra Pesadelos recorrentes,esquecê-los através de técnicas ou medicações,é a vigorosa sanidade em ação.
Ajudar-se.
Mas,deixar Sonhos na "trilha da vida";os abandonar ou matá-los,é uma incumbência truculenta.
"Desonhos",são sonhos irreais,fora dos padrões atingíveis;inverossímil ás pessoa comuns.
Ao cidadão proletariado humilde e,com inúmeras probabilidades contra seu favor.

Os habitantes de Desonho,não mais vislumbram um anoitecer calmo.Corriqueiro a abundantes centros urbanos ou até mesmo em lugares irrisórios;em qualquer localização descrita.

Lobisomens que apenas se manifestam em noite de Lua cheia.
Mentira.
Amaldiçoados que se "escondem" dos demais e vivem em clãs de igualitários.
Bobagem.
Residentes que ocultam esperança.
Falácia.



By Santidarko

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Insidra

A"ablução mental",de denotação positiva ao Ser,nem sempre é permitida,devido ao ambiente ou á orientação de"terceiros pensantes",por nós,
"Ao nosso redor"
O empirismo ou a autodidatia,são caminhos de momentos;se apresentam o oportunismo ou a necessidade.
Porém,estes meios"alternativos",nos deixam,com inúmeras lacunas;das quais,sozinhos,não podemos preencher sem o manifesto de monitores ou a aceitação de reais especializados.
Para alguns,o real,se difere dos demais.

O pedante ou o soberbo,fiam sua crença e conhecimento,em seu Dom de antever e julgar seu realismo
Pouco polido e insuficiente.
"Criar uma bolha"para se ausentar de um Mundo injusto ou até mesmo de lutas das quais não pertencemos,não é de cunho covarde ou de conotação negativa.
Isso também,poderia ser chamado de sobrevivência ou uma gaiola de faraday;portátil.
Pessoal.
Diluir ou elucidar a Si mesmo,não é uma incumbência modesta.
Ao contrário,como não abrir nosso cárcere privativo quando sentimos a inevitabilidade de juntarmos a algo ou
á contenda que nos convém.
Abraçar outros"semelhantes"que nos remetem nossa criação ou comportamentos.
Àqueles dos quais nos identificamos.
O tecer Maligno ou Divino;não importa.
Dominar a neutralidade em um Mundo constantemente de macro e micro guerras,é uma tarefa árdua.
Mesmo que não afirmemos uma total asserção á luta,o não nos manifestar,é para poucos.


Bem-vindo á Insidra.Nosso condomínio,não se preocupa com o Mundo,mas sim,com você morador.
Que obedecerá nossas leis e regras.
Insidra,está muito,muito distante do Mundo.
A Lei vigente é:-Nós resolvemos tudo aqui.





By Santidarko

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

AuTlea

Cerrou as cortinas de seu quarto,deitou-se em sua cama e se encapsulou com sua coberta.
Qualquer som externo,seria um derivativo de coerção.
Expurgo.Controle.
Mudar-se para uma pacata cidade(Autlea),de pequeno porte,deveria ser sinônimo de conforto e simplicidade.
Mas em qualquer âmbito Humano,sempre haverá,controle exacerbado em relação ao domínio de pensamentos;e claro,experiências que ditarão o Futuro de uma gerência cerebral.
Dâmaso,teve sorte por assim dizer.Descobriu mesmo que ainda tardio,"A forma binaural".
"O Atoleiro Mental".
"O viés Psicotrônico"

Um projeto que visava o tornar,uma voluntária cobaia,do sem contestações...;de medicamentos,desenvolvimentos genéticos e comportamentos retroativos.
Do voltar a ser,"Direcionado".
Fugir ou destruir o Campanário?
Apenas uma escolha.
Pessoal ou moral?


Rascunho/sinopse By Santidako

Far-se-á

Restou as paredes desnudas
sem as ensoberbadas fotos de Romance
sem os quadros de um aconchegante Ninho Humano

As cores quentes
não mais aquecem
não mais reverberam afeto


O piso
está árido
desértico


A arredia cama que persistiu
nada além de uma Tumba
Abido

Uma porta encouraçada
para com chamares amigáveis.

O Amor fati
está
Dimiscosta


Far-se-á
Solitude



By  Santidarko

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Os Previventes

Infrassônicas do Porvir




Aos escolhidos:
Sentirão algo equivalente a um apito estridente.A grande maioria,não obterá essa adoção.
Serão inaudíveis a eles e a medidores eletrônicos.
Os cães e Gatos,entretanto,estardearão-se, alguns dias antes.Passageiro.
Nada preciso á contagem do agora porvir Humano.


Hão de se promover,sentidos aguçados ao seu redor.Pensamentos esporádicos dos alheios em sua Mente.
Sons,agora que se manifestam  em confecções de Cores.A existência do ar,Visualizada em lindas partículas luminosas.
Lembranças da infância,sentidas momentaneamente;ligeiramente e marcante em seu paladar.O desperto do esquecido.
A inexplicável e certeira sensação de uma companhia desconhecida fora do domínio Terrestre.Global.De cunho material.
Percepção de um contexto real e ao mesmo tempo,a sazão de derivativos do cotidiano,ou substâncias industriais ingeridas sem sua concepção ou saber.
O aferimento,sempre será livre e pessoal;para explicações sobre o sensato.


By Santidarko

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Possóides(Possoiders)

Helion,heredo Maldito.Cunho Bestial.
Ressonância do Obscuro.
Possuidor de receptáculos com nascimento hospedeiro.
Possóide dos Sonhos.
Herege das Lamentações.
Estandardize os esquecidos Celestes,os Possoiders.




By Santidarko







domingo, 6 de janeiro de 2019

A Espatantalho--De palha formido(Medo de Palha)


A chamarei de Dárilha.
Darei a ela um belo vestido negro,uma umbela de seresma;que lhe permitirá apenas deixar seu olhos á mostra.
Suas pernas terão meias rubras,as mais vivazes.
Botas púrpuras como um Lindo dia chuvoso,daqueles acompanhados com uma brisa fria.
Faz dois anos que sonho com sua criação.
Com sua confecção.


CLARO;ela precisará de uma Alma.
De uma entidade que sempre clama um chamar á volta ao Plano Terreno.
Detalhes técnicos e especificações espirituais precisos sobre essa conjuração,eu não retenho.
Mas,o meu pagamento á Bruxa que reside próximo á minha fazenda,garantirá isso a Mim.
Uma companheira que combaterá ao lado de um pobre plantador de Abóboras,os ladrões que aferram minha propriedade.
Um desditoso viúvo que não pode pagar por proteção e contar com a ajuda de Entes e vizinhos.
Que cedeu todas as suas economias á Nigromante:Lituriz
Lituriz,A "Luz-Negra".



Ensaio/personagem e introdução by Santidarko

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

O Bruxedo de Nádila Sérfira-A Confraria Dos Desejos


"Se eu sou merecedora do cessar da consciência corpórea,ei de ser vitoriosa no entremeio.Meu probo,é o deferimento á Alma
inquieta,receosa e sagaz pela experiência degustada."
-Nádila Sérfira





O quão corpulento poder ser a primazia de um desejo?
Maviosa á egóica razão do existir.Do estampido chamado vida.A força motriz para plausividade da lógica e da razão interna.
Outrora,enlutada por antigos sonhos desprendidos ou aturdidos pelos empecilhos do caminhar


O lisonje mais voraz que o nutrir-se.
O basilar da própria sorte criação;lançada a semelhantes igualmente perdidos e sedentos pelo querer em frente á vitrines dos sortidos escolhidos sem o Jus.
Pactar-se com o obscurantismo,a fez,fulgor cedido;não dado.
Concatenar-se ao Magicae Modos,Talvez seja imprudente,mas libertador á sua visão.



personagem by Santidarko

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

A Flor De Lastro

Ao Lacaio de Pronome Malévolo
desprovido da ressonância do partilhado existir
Olhar Poeril de supro anseio Necandi

Mostrei-lhe
minhas equimoses mãos ainda vívidas
Meu Animus ainda em Fé

No mercado dos Medos
ÉS o excludente do Ser
do perseverar da Aurora

Meu urde
se une ao seu Liame
em desarmonia

Não ei de me apiedar
ao seu ermo Destino
á Sua Mordaz vida
ou ao seu patológico catalogue literário
cognato conhecimento enfermo

balordo
somítico de Almas

Á magnificente vida
dou meu reverbero da Luta
meu aflorismo do forcejar


aforismo
Defesa
















By  Santidarko

sábado, 27 de outubro de 2018

Anamneses

EU SEI
eu sabia

EU TENHO
eu tinha

EU ACREDITO
eu acreditava

EU DECIDO
eu decidia

EU SUPERO
eu não...


EU ME PROTEJO
alguém me....
..
EU SOU JOVEM
meu espírito ainda é...


EU CONSIGO
eu...eu...
eu...





By Santidarko








-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

anamnese na filosofia=filosofia platônica, rememoração gradativa através da qual o filósofo redescobre dentro de si as verdades essenciais e latentes que remontam a um tempo anterior ao de sua existência empírica.

by internet e  Wikipédia

A Casa No Limbo-O Além Em vida

Amádia Gumano




Quando a Solar Amádia obteve seu conscrito da vitalidade sobre o tempo mortal,seu Coração alinhou-se ao Eclipse Toráxico e não mais se ausentou.
Sua Ataraxia;sumira,

Um visitante que nos surpreende com seu chegar e logo o tornamos nosso membro cotidiano.
Reclamamos da falta de nossa privacidade e não mais suportamos sua partida ao nos deixar a esmo"no escuro do amanhã".
Sua sinapse,não mais envolvia a todos com sua luz do saber e do lutar...,a escuridão,irradiara até sua Alma.
Ter o espírito ferido,amargurado ou desacreditado;ainda existem  possibilidades de cura...,
...mas a Alma...
...ter seu tecido rasgado pela depressão interna e do exterior julgar,consome o corpo que já sofrera com á espera do final prescrito.
A máquina que irá falhar,cedo ou tarde.

Abomina a completa escuridão e a LUZ libertadora.
O Limbo,é sua Morada de certezas e convicções.
Autoextermínio,não é uma Fuga digna ou segura.
O Cinza,é sua alegria em uma triste e feliz lembrança.
MAS,para TODOS,chegará o Lidar.
O Digerir.
No limbo,também podemos plantar e sermos metade do que somos um dia.
Lá,também poderemos ser lépidos.


By Santidako

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Heliundes ‡

Do desejo negado
subtraído

o alcançar de um saber ou degustar
impróprio de sua Alma Destino

A curta sorte da encarnação
escrita

Do Amor ou uma singela riqueza
esquecida
o superior anseio




Heliundes
lhe dará seu partilhar ofertado
oferecido
dividido





By Santidarko

Nígina Sérveras-A Necromânciana

Nígina Sérveras ou Vulgo 'a Necromânciana',chegou ao Brasil com seis anos de idade.
Sua Mãe,Kivanna Sérveras(*pronunciado:KÍvanna),saiu de Zinski,na Ucrância, para tentar a sorte na terra do abrasador.
Abrasador,segundo Kivanna,era o Sol vigente que tutelava seus Habitantes.
-"Tão aquecido quanto ao caldeirão de Heliundes"

Heliundes,uma entidade que anda de "mãos dadas" com Deus e tem seu olhar sobre seus ombros ao Diabo.
-Deus,em sua estrada Cintilante e equânime,não chama os caduciados(*vencidos)pela curiosidade das inclinações; do desejo espiritual e Carnal:a retomar o segurar de suas Mãos.




Caduciadas



árduo tilintar que pronunciou a dissolução
do cândido obséquio


ávido Negro que colocou esperança em pratos quebrados
Estrela em declive
que me deste o erupcionar do querer e recusar

Em um Mundo de Vitrines e amostras reluzentes
fragmentei o vidro pela sobrevivência
 pela Alma
pelo escambo da Necessidade


Tenho o batizado Negro na Iluminação
a iluminação batizada no obscuro

o intermédio
segue meu olhar


Aos que não escolheram em vida
os clamo a escolherem após seu descansar impróprio
não desejado





Personagens by Santidarko

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Arthur Téfano-O Túmulo Senil

Todo jovem,após ao término de suas Palestras diárias,aulas;apreciam ir a Shoppings,namorar perto de grupos que iniciam uma tribo local;momentânea,a do dia...,ou simplesmente...,almoçar em algum lugar com garotas e garotos de outros colégios.
Arthur NÃO.
Gostava de perambular sozinho por alguns Cemitérios antes de chegar em sua casa.
Ler seus quadrinhos sentado á sombra de uma "bela árvore"e beber um pouco de vinho.
O que não era de uma total aprovação;também fumava alguns cigarros.


Algares(*catacumbas,covas)em determinados Lugares,são obras de Arte.
Os detalhes das estátuas,o traço artístico,...as referências de técnicas aplicadas no decorrer das Eras.
Na há contradição na beleza empregada aonde o dinheiro familiar viabilizou.
Téfano,ao concluir o colegial,almejava estudar Arquitetura.
Tinha em Mente,inserir aspectos Góticos em seus projetos.Pequenos traços na idealização da Planta.
Nada muito"gritante"...,mas algo em minuciosidade.
O pormenor para quem realmente prestasse atenção em detalhes.
Ir a Barcelona após concluir seu curso,seria sua maior inspiração para com seus planos.
Arthur não trajava ou "ostentava" vestimentas Góticas.Como descrito,particularidades simples.
Um livro portado,filmes e/ou menções pessoais,conhecimento ao observar a obra de um artista...,citações...
A propósito,seu padrão de comportamento comedido sobre seu entusiasmo,mesmo assim,chamou a atenção de Góticos que em uma desses passeios,também usufruiam do local.
O Cemitério.
Os "Finórios Cemiteriais",como autoproclamavam-se.
Nesse início de tarde,apenas dois dos membros estavam"á espreita"da presença de Arthur.

Em um final de semana,Arthur resolvera ir á noite no Passadiço(nome do Cemitério).
Sentir"o clima"...;os medos,os pensamentos que iriam se sobressair.
Pulou o muro e andou por alguns metros.
Os Finórios Cemiteriais,estavam lá. AGORA,com todos seus"associados".
"Em cima"de um Túmulo.
Olasco e Mahasiah,os líderes do grupo,o convidaram a se juntar em sua especial celebração.
A música,as velas e, o cantar com uma guarrafa de vinho em uma das mãos de um componente,alertou Arthur de uma possível descoberta do vigia.
Mahasiah,dissera que referiria a seu Pai.
Privilégio Pessoal.
Com Arthur,eram em cinco.
O casal Mahasiah e Olasco,os líderes,e Balzária e Colomus.
Irmãos.

A Lua iluminava o cemitério como se fosse um acolher especial.
Após inúmeras conversa,risadas e confraternizações,o grupo resolvera mostrar a Arthur,um lugar"especial".
Um túmulo que se"expressava".
Ao ser levado á blasfêmia da lógica,Arthur se deparou com um jazigo simples.
Pobre ao se comparar com muitos outros.
Não possuía inscrições Familiares ou detalhes elaborados.Por menores que fossem.
Aliás,alguns tijolos,estavam á vista.O cimento estava se despedaçando.

Ao questionar aos seus novos"amigos",o que de tão incomum houvera alí,subitamente foi aferido ás atenções de poucos.
Á razão que tivera de ter sua sazão.
Norinda Cristica,leu Arthur ao atentar seus olhos a uma Cruz de madeira em deterioração.
Pendia ao flanco casual do tempo.
De repente,Olasco solicitara silêncio a todos.Acende uma vela e a coloca em cima da sepultura,
Clama aos integrantes,dedicação.Especialmente a Arthur.
Arthur começa a ouvir sussurros e um resmungar ilógico.Algo como que os idosos senis que perambulam em locais públicos e não determinamos o que fora proferido por eles quando passam ao nosso lado e temos seu olhar e dizeres.
Arthur,cai ao chão ao tentar dar um passo para trás.Tropeçara em um desnivelamento da terra.
Alguém com surpresa e um assombro cerebral,jamais se atentaria no:aonde pisar.
Os cuidados em um ambiente auxiliado com pouca iluminação.
Claro,poderia contar com as iluminação do"corredor principal"do Passadiço ...se precisasse correr.
Afoito e desinibido ao pensar alheio.
Mas,aonde permanecera,contava com a luz da vela e da Lua.
A primeira reação de Arthur ao se levantar,foi a negação para com seus ouvidos.
Ao racional á sua volta.Do senso.
-QUEM FORA,FORA.
-NÃO HÁ CONHECIMENTOS DE VOLTA OU PERAMBULAÇÕES.


-Se recomponha e ouça o que ela tem a dizer a você;dissera Olasco.
Mesmo Olasco o puxando para perto do túmulo,Arthur sinaliza uma negação voraz com sua cabeça e se desvencilha de suas mãos..
Mahasiah,quase consegue o agarrar pelo colarinho de sua camisa...mas Arthur,se comporta como um Felino Selvagem.
Arthur parte em Fuga.

Norinda,havia sido uma noviça que morrera muito cedo.Tinha apenas vinte e três anos quando deixara o plano Terrestre.
Se tivesse algum Dom mediúnico,assim como Olasco e Mahasiah,perceberia que não se tratara da campa em si,abafando seus dizeres;mas Norinda em pé ao seu lado tentado lhe dizer algo.
A alguém que não possuí uma sintonia com o espiritual.Que interpreta mensagens como interferências de locuções.
Enganações mentais e ambientais

Mas,Olasco,ainda tentou correr até Arthur.Lhe entregar a mensagem.
Arthur correu como se fosse o filho do Vento.Um Mercúrio Mortal.



A Mensagem era:-Vá ao médico o mais breve possível,amanhã,seria um triunfo da chance.A Doutora Salute,viajará.
Apesar de sua idade,ela lhe dará mais tempo









By Santidarko


segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Sangrinires

Vampira que usa duas Botas Brancas até á altura dos Joelhos.Um detalhe peculiar que denota-se...,uma marca de batom em vermelho(beijo);na ponta de seu pé direito.
Usa um sobretudo vermelho(na altura de sua quadríceps femoral)com um forro Negro.

Calças Jeans bruscamente"Fendada"(rasgada) nas coxas(frente e verso).
Uma gargantilha Dourada com pequenas cruzes inversas(Diamante)e um Top Feminino em formato de Pentagrama(invertido),um cinto com pequenas bolsas no quadril(duas na frente e duas em cima  dos glúteo);,completam sua vestimenta.

Cabelos Negros(sempre com Rabo de cavalo)e Olhos verdejantes  seivosos.





Personagem by Santidarko

Hominis Nosferus Imortalis/Demo Nosferus




Vampiro,Vampir,Nosferatu,Calegiano,nocte daemonium,bibere sanguinem,sanguinem vita,Hominis sanguisugae,cibum Demos





By Santidarko

domingo, 21 de outubro de 2018

Na Artéria da Noite-Os Coligidores

O que o Ser Humano mais deseja em vida;muito além de joias,casas magníficas,carros possantes,Iates,viagens a lugares espetaculares,objetos exclusivos de Arte,em suma...;é outro Humano.
O intento razão...,qualquer intelecção pessoal.
Próprio.
Talvez,á primeira vista,isto seja relativo a você,mas,o Ululante comércio secreto que acoberta os"Coligidores"(*vide Coligir)da noite,lhe fará repensar seu intelecto moldado.
Em grandes cidades,moderadamente em pequenas,existe uma espécie de Van que sequestra crianças,jovens e, adultos até os cinquenta anos.
Suprem o comércio de pedófilos,órgãos,cobaias de experimentos particulares ou "encomendas pessoais".
Biotipos ilimitados ao solicitante.
Sempre a esmo pela cidade.Á procura.
Uma vez entregue em um galpão"acobertado",o comprador deve pagar a"outra metade da compra"; de seu pedido.
Devidamente anestesiado.
Dormente.
Os Quebra-Nozes,como também são chamados os Coligidores,com máscaras de Esquilo,garantem que"seu pacote",seja entregue em sua casa com"segurança".
Que você não cometa alguma besteira...,idiotice;que os entregue ou os delate.

Olívia Ferrardi,chegou á cidade de ônibus..
De madrugada.
Sozinha.
Andou a pé na noite fria e deserta com sua mochila até o local de um Hotel indicado na rodoviária.
Estava com pouco dinheiro para ser taxiada.


Pobre Olívia.



Qual o critério que a fez ser escolhida no doentio catálogo em seu pacato trajeto?
Simplesmente azar noturno?
Quem a comprou e o que faria com ela?
Como escaparia dessa noite atroz?




Rascunho de conto e sinopse
By Santidarko

sábado, 20 de outubro de 2018

Amóridos-Caligianos


Dizem,os Humanos;que Caligianos(*provindos da Caligem),não têm o bater Cardíaco em movimento após o renascer.
Pura incorreção.
O Músculo,agora reestruturado,mais vigoroso,bate em um Ritmo desigual aos Humanos ou qualquer Ser Mortal.
O Estômago,também conjuntamente maioral na distribuição de energias ao novo sistema regenerativo... a um corpo e cérebro imortal.
Que não mais envelhece a partir dos vinte e cinco anos de idade.
TRISTE PESAR HUMANO.
...sumidade muito mais vibrante..,coeso e inteligível para com o nosso redor.
Eis o desígnio óbvio do novo engenho Nosferatu sob o tórax.


O além-túmulo,pode não ter nos deixado o folclore de se sentir o amor sob o arcabouço ósseo;para com os Humanos,ou para com mortos-vivos...
...mas ainda... sentimos...o lascivo desejo.
O júbilo da pele e da fricção dos movimentos.



by Santidarko

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Augusto Feloni-A Árvore dos Raios

Incessantemente emurado das conversas secretas do Mundo.
Constantemente desvanecido da elevação fálica imotivada do oposto
Severamente oferecido aos inimigos pelos amigáveis apertos de mãos.

"Represado"de festividades anuais
Julgado antes do esclarecido
cambiado por favores sustados entre seus desiguais


Feliz ao fechar a porta de sua casa ao chegar no final do dia.







by santidarko

São Palomino-O Santo Protetor De Vampiros/ Nosferatus(Oração Romena)

Nascido no vilarejo de Brasanov,Romênia,lutou contra a"infestação"desenfreada que acarretou seu povo no século 19.
Atanase Slavic Palomino,era um aldeão"simples",encetou os Habitantes de crenças Midievais,credos descabidos sobre Bruxas e rituais que se referiam a experimentos científicos de residentes evoluídos intelectualmente,para com Mito Real de Vampiros.
Primitivamente chamados de Morcegos Humanos.
Brasanov,era uma espécie de"Taba"ocultada pelas Montanhas da Romênia;panorama de relatos ou Fatos,desfavoravelmente assomavam a eles.
Confrontou os Mortos-vivos com a Cruz de Lorena."Sua Marca"nas pregações que propendia o esclarecimento aos colonos montanheses.
Peregrinou contra a Prole da Vlad até o fim de seus Dias.Pego em desvantagem;quando foi acometido por uma forte Gripe que o incapacitou de um revide oratório e de luta contra Calidines.Uma vampira que o perseguira após sorver sua mulher e filha em sua frente.Antes de se regenerar,Calidines perdera seu braço ao ser alanceada pelo machado de Palomino.




São Palomino,vós que lutais contra os predadores da escuridão
dai -me o Retros da afronta em Teu Nome
rogue-os á desgraça do fogo e ao brilho de Lorena
guarneça meu sangue límpido das presas do impuro
do Nefasto
Trazei a Mim
a força da Estrela da Manhã
Não me deixes ser o Alimento Do Mal
De minha Carne á Carne dos que não mais vivem em comunhão Humana
São Palomino
em ti eu me escoro no momento de minha escolha impróspera




Personagem by Santidarko

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

A Casa Dos Malefícios-A Residência Dos Forasteiros

Muitos,acreditam que em uma moradia aonde houvera algo Hediondo,malévolo ou destrutivo ás menções Humanas,poderá ser equacionada com alguma reforma.Um esquecimento bilateral(vendedor e/ou comprador) para com o ocorrido,ou o melhor;a demolição de suas paredes que outrossim ,ainda seriam"testemunhas caladas"dos detalhes.sórdidos até o desfecho de sua tragédia.
Ledo engano àqueles que têm seu fiar-se nessas conclusões ilusórias ou protetivas.
Crenças descabidas ou folclores urbanos,podem salvar sua vida.

Sua integridade Espiritual...;
ao meu ver,a única com cicatrizes ou feridas ocultas;benévolas ás sequelas de um acidente físico.
Mas,nem sempre o que está encoberto aos olhos de outrem,é súpero á perspectiva de um convívio social comum.
Um "véu"para seu EU interno conseguir ir adiante.A lugares coletivos de recreação.
O luzente;é falso.
É maquiado ou "ensaiado".
Fantasmagóricos,querem sua vida de volta,o que lhes pertenciam antes de seu desprender corpóreo.
Almejam seu retorno,mesmo que em prospectiva dos residentes.

-O que acontecerá no cotidiano Terreno?;no Futurológico de meus bens materiais apreciados em vida?

Ser um Dono forasteiro,sofrer estratagemas em seu próprio Leito,não aparenta ser o melhor feito do:resistir.
Com o tempo,o lugar ansiado por eles,se tornará algo dispensável;sua vida e Luz interna,provocará uma cobiça maior do que outrora despertara aos incorpóreos.

SAIA.







by Santidarko

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

O Caça-Dor





O Padre Maximilian Joyce,demonstra ser o portador de um ranço insuperável.
Um Hospedeiro do Mau humor e de uma austera Face.
Uma metanoia de seu"chamado"aos dias de hoje...,cansaço da rotina ou de suas palavras proferidas"ao vento"?.
QUEM SABE?

Colocações e"encaixes"como estes em conversas entre os paroquianos;é"desembainhar"algo quando falta argumento
ou quando falar do tempo,se torna algo repetido após alguém já o ter observado em pequenas rodas de conversas.
Mas perante ao Padre Maximilian,somente são pedidos de bênçãos e agradecimentos.
Convites.Dos mais diversos.

As crianças...?
Essas não têm porque mentir ou ser sociáveis."Verdades"ou que escutaram de seus pais,já foram ditas sem qulquer pudor ou receio perante ao Padre.
Os Adolescentes ainda mantêm a prerrogativa do medo.
Se alguém com"poder"Divino,ou o escolhido para estar alí;-rogar algo contra você,peça aos Anjos,que lhe cubra com suas asas da ira de Joyce.
Mas um enunciado que poder ser dito,sem qualquer constatação errônea ou duvidosa;É UM HOMEM DE VALORES ÉTICOS E MORAIS.
Com seus cinquenta anos de idade,em sua trajetória contínua,ou seja,nunca afastado ou transferido por alguma justificativa,injúria ou um"hastear"de erro defronte ao seu rebanho,foi apresentado em seu nome.
Inimigos,todos os seres vivos possuem,políticos ou um ciúme quanto a um porte físico de alguém que se exercita ou foi agraciado com a"observação de olhos femininos".
O Padre além desses,possuía uma  herança familiar.Abastado desde o berço.
Para algumas,ser"a mulher do Padre"após o largar de batina,seria uma honra e sorte.
Mesmo as casadas,tinham o"suspirar".

O que ninguém observava ou desconfiava,é que Joyce...,tinha"serviços noturnos".
Caçar Demônios.
Infestus da umbria(*sombra).
Joyce os chamava de:"Os Umbres"





(..)Se não houver mãos do etéreo que segure o candeeiro á noite,es que meu Reino e mavórcio prosperarão.













Rascunho de Personagem by Santidarko

sábado, 13 de outubro de 2018

A Fazenda Do Castelo-Heliara Gueller


Seu discorrer impreciso,ofegante e dilacerante em seus nervos já corrompidos,sempre em "constante cicatrização",a levou,a um ímpeto de busca;correspondente a de um náufrago sedento,rodeado pelo"infinito"de água salgada.
Trabalhar na Viviena,a Fazenda de Sabino Glaudini,não foi sua opção requerida,mas a vida...,nos leva a lugares aonde nunca imaginávamos pisar.
Asseveração piegas a qualquer um,ESSA AFIRMAÇÃO E/OU DITADO,MAS,uma coerência de aonde não queremos estar.

Orgulho ou falta de conhecimento para o trabalho,não faz qualquer diferença em momentos do sobreviver.
Claro,a prostituição ou roubo,estampou sua mente...,mas Heliara,recordara de sua infância e criação.
Em seus Irmãos.
No que diriam se descobrissem ou fossem relatados,sobre sua escolha.

Sua mente mnemônica,não a deixaria em desfalque ou em qualquer desvantagem perante aos outros empregados.
Dirigir "veículos pesados";tecnológicos,alimentar animais ou ficar debaixo de um Sol escaldante,seria ensinado a seu corpo e á sua vida Diplomada em uma ótima faculdade.
Ir ao Castelo,desenfado esse chamado por todos os assalariados da Viviena,era sinal de promoção ou á despedida de um de seus membros braçais.
Construída em uma pequena Colina,com alguns detalhes em pedras e suas janelas e portas de um grande porte,realmente;lembrava uma fortaleza Medieval.
Ainda mais,com um pequeno rio que corria ao lado esquerdo  e formava uma micro cachoeira ao cair perto da escada principal da vivenda.
Qualquer um que fosse até lá,faria essa associação,alusão ou brincadeira com o que vira.
Era inevitável.


Heliara,era uma mulher bem-apessoada,bem-posta em suas qualidades corporais.
O eterno e constante mexer,ou melhor,arrumar de seus fartos seios que necessitavam um de "ajuste local",uma acomodação;para ser franco e justo;um amoldamento de momentos em momentos;pegaria quaisquer olhos atentos ou acostumados com "as presenças";em um jogo do:-olhei,mas não por querer.
Sardento e branco como leite;causaria inveja,imaginação ou o desejo descarado em trejeitos faciais.
Á maioria.





Final do rascunho/introdução

Santidarko

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

O Recital De Provattus-Desreverso

Um Empirismo adquirido sob dores;angústias e desaprovações de simples relações Humanas.
A neófita da esperança e do acreditar,a "Nuela",Mariela Capronni,finalmente resolvera sair de seu casulo social e cotidiano.
Sua outra tentativa.
Se lançar ao Mundo.Ás relações.Mesmo sendo elas,não correspondidas com uma mesma veemência,sem um ímpeto dos alheios.

Á vista de um desabitado enlevo,nada para se afligir nessa nova mudança comportamental.

Afinal,se jogar em algo desconhecido,mas com uma mestria sapiente,requer uma expectação doce.Sem amarras das experiências passadas.
"Armada"sim,mas sem o demonstrar das feridas e os Hematomas do Eu vivido.
Tampouco,uma febra.
Descabida para com os interesses e as competitividades do real.

Assim NÃO.

Desaprender o "savoir-faire",JAMAIS.


Provar a Si...,TALVEZ.
Mas requisitar a interação Terrena ,COM CERTEZA.






Pobre Mariela
dantes vívida novamente
doravante
Foi topada novamente

Freada
rasurada
capada emocionalmente

O Mundo é uma constante e bela tela em branco
Os Animais são coloridas aquarelas
Os Humanos
o deplorável Flanco


Reverter o invertido
foi corajoso
esperançoso
deve ser mantido

As dores
são como as Estações
hão de nascer Flores

Mesmo em um terreno seco
árido
aguerrido
encarecido por fúteis

sua vida é ouro guarnecido
não deve ser desmerecido

Optar repetidamente
em se ocultar
é manobra sobrevivente
é ficar em estado dormente

Um dia o acordar
será finalmente
o melhorar








Santidarko

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

A Bruxa de Sálamo

 A Expiação Local


Sálamo,é um vilarejo que se localiza ao Sul do País.Fica ás margens do Rio Mágus
Apenas conhecida como Bubana;ou vulgamente como:Sonho Negro ou Mirone Sombria,é Habitante de uma Mata chamada pelos locais;de:Caliginosa
Uma Mata Densa,composta de banhados,Espinhos de Areia e um vasto composto de animais peçonhentos.
É Domicianada das terras aonde vive;por doação.Um grande fazendeiro e político antigo que retribuira um favor segundo ás estórias.

Verdades e mentiras,se entrelaçam quanto ao passado e ao presente de Bubana.Mas uma observação que todos os moradores que estão "próximos"a ela são consentâneos,são sobre sua aparência referente á sua idade.
Consagrar-se-ia idosa ao "tempo contado" por parentes dos residentes;avoengos,parentais e púberes.
Os Radicados da cidade de:Tévoras

Seu pequeno sítio,nomeado por si mesma de:Sponsa Capra(noiva do bode),tem uma extensa horta e "plantações singulares".
Sua casa é pequena...,feita com pedras."Milagrosamente"encaixadas com perfeição de centímetros nos detalhes arquitetados.
Possui um porão que difere em um tamanho bem maior que sua moradia de conspecto;casebre.



Personagem by Santidarko

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Gritos Espelhados-Orgias Depressivas

Medo,ansiedade,alegria.
Morte Momentânea ,prevista em alternados dias.
Vislumbre corporal.
Desconforto Solícito.

Libido Flutuante;visitante.
Deturpação do eu ausente.
Difamação cerebral ao Si mesmo.
Melancolia ao Real,ao porvir.
Prostração ao imaginativo querer;desejado.
Subtração dos dias antecipados.

Obstinado do Ontem.
Supressão ao afeto alheio.
Descaso do Amor amigo
Gritos interiores;silenciosos.
Réplica da despersonalização;nostalgia ao Eu antigo.
Invocação ao Pretérito Perfeito.


Retroativa imagem dante da inimiga Mente.
Desleal.
Mordaça fármaco.
Levantar refletida no teto;
em paredes.

Futuro Exclamado;Interrogado.
Controlado.
Acompanhado.

Antidepressivos Espelhados em Retinas opostas.

Gritos Espelhados á óptica Mundo.

Alma sem rebanho
Consciência sem Pastor





By Santidarko

Vampiromus

Vampiromus= Clã vampírico Sul-Americano.
Situados do Sudeste ao Sul do País.

Linhagem não antiga.
Etnia heterogênea(*padrões miscigenados previamente,Dante Humanos)


Possui o Brasão de uma Cobra enovelada a um Dragão,com sua Face sentido á esquerda.
Lua Cheia como pano de fundo.





By Santidarko

៶ ៸ Estro Sanguirus-Sarina Sangrenaro,'A sombrinosa'

Nosferata trilhante
sonâmbula arguta
andarilha submissa de Seiva Humana

Ceifadora do anseio
voluptuosa Libitina
cupido inclemente


Rubra afetuosa
Nefasta acolhedora
Devassa Sanguínea

"Nefariana"
"Sanguiriana"

Infausta


Infestuosa do lúgubre




Pertencente ao Clã dos  Vampiromus







By Santidarko

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Fantasdermia/Vivultre-Eudora Chenko



A Fantasdermia=incorpóreo que demonstra sua presença com toques ou erupções na Derme(Dermatose).
Não é incomum toques na genitália para o estímulo ou embaraços sociais.
Mastubação.
Nunca á penetração.


Uma Vivultre=nome dado á causadora desses males.Espírito que se"alimenta"com o toque e a energia gerada pela sensação de prazer ou carinho.
Fricção.Estática



Eudora Chenko=Massagista que teve sua vida ceifada por um maníaco ao deixar sua clínica de Estética.
Mortais comuns que têm o"toque exarcebado"como fonte energética,diária,ao deixar o "físico",sente a necessidade do toque e o acompanhamento de um escolhido,á busca incessante do tato ao vivo





Glossário e personagem by Santidako

sábado, 22 de setembro de 2018

Darknosa-A Gótica Eucarística

Florência Zanaro e o âmago Celestino




Celebrar o vivo junto ao que se encontra em decomposição,era rotina em sua caminhada"sombreada".
O Sol,lhe trazia compromisso.Mas a Lua e a noite,AH!...;a Lua...,lhe trazia liberdade!
Proporcionava a ela,inserção a um Universo de segredos e destinos guardados.
Como se fizesse parte,mesmo que em segredo espiritual e não reconhecida por julgo condecoração;...de uma conspiração energética ou subliminar de eventos não eruditos.



Envultamento e o manuseio de elementos a sortilégios,difere totalmente de se cultuar a Luz,ocultando-se em um véu lúgubre.
O Maligno,também procria ao amanhecer e no"azul Celeste".
Ledo engano,de quem os designa por palavras ou gestos comportamentais.


A predileção á caveiras ou ao mórbido,em visões rasteiras,significa para alguns,adoração ao Final.
A antecipação,devido a uma escolha não desejada em vida.
O desdém ao belo ou ao oferecido.

Mas a outros,á celebração da alma e ao Futuro passageiro em comum



(Darknosa)
Personagem by Santidarko

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Verena Nolturo



Ás vezes,depois de meu despertar,até mesmo antes de me alimentar,vou a uma rua movimentada.
No início do enoitecer.
Descalça e com meu vestido negro e de detalhes em vermelho,me sento no beiral de um prédio.
Sempre com minhas pernas voltadas á rua.As balanço em movimentos descompassadados.
Meu Mestre,meu criador,Asmus Parine,um Francês que veio ás terras brasileiras em busca de um paladar mais caliente;mas isso,eu conto em uma outra oportunidade...;que habituou-me a essa divagação inebriante.
Ver as pessoas,os carros,as luzes de sinalização;todos em um êxtase afervorado.Tudo daqui de cima.
"A velha"Thaynire Lonetto;eu,antes da escolha por meu autor da escuridão;...,poderia estar lá...aflita,...sem uma cadência emocional para "o onde ir"depois de meu chegar doméstico.
Na sedentária rotina de amores desejados,fracassados,ou,de meu trabalho injusto e hipócrita.
Os"porquês";sem nexos,sem revides,sem argumentações ou sequer,decifrações de um destino a esmo.


Mesmo daqui do cume de concreto,sinto as almas,as fragrâncias corporais que me levam ao desejo e á escolha da noite.
É um "pouco" complexo de dilucidar,exemplificar ou clarificar a um corpo ou a uma mente Humana,o que vou tentar narrar e/ou descrever.
Uma apercepção Nosferata;exorbita qualquer sensação aguçada.De um Humano ou animal,mais agraciado com uma genética fantástica,ou dotada de mudanças ambientais que contribuiram para sua evolução em um ambiente inóspito.

"A agucação"dos dons recebidos após ao meu segundo nascimento,natimorta ás leis da natureza e do tempo,transcendem o real ou o científico legítimo ou ilegítimo.Aos mais permissíveis em inquirições extraordinárias.

ME DESCULPEM....ME DESCULPEM.
Talvez,eu esteja os depreciando um pouco.
VOCÊS,SAPIENS.

Mas quando assistimos a filmes que falam;dos povos que vieram de outros Continentes,dos costumes ou lendas que não conduzem ao real de uma gente,mitos e lendas,seria essa...,minha colocação em relação a nós.
Os dons e os poderes mostrados nas telas e nas literaturas,nos tratam como um pouco limitados.Outras conjecturas,nem mesmo são cogitadas.
MAS,TUDO BEM....TUDO BEM.

O que eu quero dizer em um tom direto e objetivo,que,através de minha visão inexprimível,obtenho,mesmo daqui de cima,o alcançar em ótica perspectiva,...o querer de uma jugular.
MAS NÃO..,PARA me nutrir em uma separação longínqua no qual me encontro como nesse momento.
MAS,através de um sopro em seu cerviz,o consigo"marcar"com meu hálito.
Mesmo ele se dispersando na cidade ou na multidão,posso segui-lo em um rastro,vermelho como uma fumaça leve e sutil,visível somente a mim e nenhum outro vampiro,Aonde se encontra.Mesmo que tenha se passado horas.O que eu jamais poderei fazer,é pegá-lo dentro de sua moradia.
Usar um artifício para ser convidada a entrar,ISSO,é UMA OUTRA ESTRATÉGIA..
Lugares públicos,não interferem o meu adentrar.
E sobre o aproveito do sexo,isso eu deixo para PROPAGAR em um outro momento.






By Santidarko

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

O Clube Magiciano-A Sociedade do Lume Felino

Victor Calaro,nasceu no circo.Sua mãe,Regina Calaro,a assistente do mágico Oriel Von Drumas,o teve muito jovem.Com dezessete anos.Uma criança nos dias de hoje.Mas não no íncio nos anos oitenta.
Talvez,em alguns meios de vida,seus conceitos,pouco valham.
Regina,ficou encantada com o felídeo olhar de Von Drumas.Em cada mudança de apresentação dos truques,a troca de"gestos oculares"entre os dois,isso sim,poderia ser conotado de mágica.


Von Drumas era um homem muito bonito.CLARO,toda beleza é efêmera.Dado o lugar,opinião,época ou uma vestimenta que contribui a qualquer homem,esse consentimento de outros olhares.
Ás mulheres,o mesmo efeito relativo.
Mas mesmo assim,ele preenchia requisitos para essa afirmação.
Talvez,sua maneira de se portar perante ás pessoas,seu gardo de movimentos corporais,seu sorriso contido,sempre com um toque em sua barba após um riso exacerbado,acrescia um charme sublime do que a uma beleza convergida por todos.
A um homem de trinta e três anos,que proporcionava olhares imaginativos das adolescentes e de mulheres mais velhas,diríamos...,que sim, era apolínico.

Observadores e analíticos de vigília,descreveriam que..,tamanho sestro,á explicação Freudiana.
-Uma jovem mulher que objetiva-se a um relacionamento com homens de Eras mais vividas,na efetividade,almeja um Pai ou uma figura masculina austera que não obtiveram na infância ou em seu crescimento pouco resgardado.
-Porventura,a presença de um irmão mais velho,rígido,com doses de violência protetiva,leve a algumas jovens;ao incesto Germano.
-Outrora,Relatos usuais e literários,já descreviam tal comportamento.
-A segurança financeira e medo da quase ou nenhuma experiência perante ao Mundo;as leve á ação da sobrevivência.


O fato é...,a atração e o encontro emocial afetiva entre eles,não seriam narradas ou destrinchadas por figuras de um clube campestre de Golfe.Regados a bons vinhos,rodeados de belas esposas e em frente a uma piscina que servia de colírio masculino.Com jovens de mesma faixa etária á mostra.Cobiçadas pelos Hipócritas.


Victor,estudava em"casa",sua mãe e membros da trupe,passavam a ele,tudo o que podiam sobre a vida e a luta de ser um errante.
O suficiente a uma vida em preparação para a Guerra.
VIDA.
Em certas ocasiões,seu pai,conseguia que ele participasse apenas como ouvinte em algumas escolas das cidades visitadas.
Somente como "corpo presente".
Não havia interação dos"colegas";nem sequer com os Magistrados quando Victor era consagrado com a sorte de poder sentar-se a uma mesa estudantil.
Não que Victor não fosse aberto ás amizades,mas um estranho,"estranho",era pertubador a eles.
Á Benemerência de Von Drumas,que ao voltar sempre da escola com essa excelente notícia á Regina,que nunca obtivera êxito em suas caminhadas longas que calejavam seus pés devidos a seus saltos-altos;Em certas ocasiões,ela o indagava da tamanha realização,já que ela,inúmeras vezes, saía com o pequeno Victor de mãos dadas pela cidade e,sempre, recebia um NÃO de professoras ou diretoras.
-Ciganos,não!Diziam as docentes.

Mas em seu caso,Von Drumas respondeu:
-Mágica!

O tempo foi passando e Victor se desenvolvendo como um jovem promissor.
Um Mágico regido por horas pelo seu Pai.
Treino,prática e observação.
Alegre,emocional e esperançoso com o Mundo "fora das Lonas".
Seu pai,seu exemplo...,acima de TUDO.
Sua mãe não tinha mais o vigor de uma jovem atraente,mas ainda dividia os laços da união com Von Drumas.
Como sempre foi.
Nenhuma separação ou desate entre os dois,ocorreu durante os anos.Nem uma discussão"Faltosa".
Um desaprocimar de dias.

Em passagem por uma cidade de pequeno porte,Rio Servente,Von Drumas,iria fazer o que sempre fizera.
Ir em busca de uma"vaga diária"para seu jovem filho.
Agora adoslecente,seria importante para Victor...Ainda mais!...,atualizar-se dos acontecimentos e das modas regentes.
Do vigor do Agora.
Mas em uma dessas rotineiras buscas educacionais,Von Drumas,não voltou.
Regina o aguardou com Victor,abraçados na pequena entrada do circo,até o chegar da noite.
De manhã,todos do circo,foram á procura de Von Drumas.
De escola em escola.Não eram muitas,a contar pelo desenvolvimento local.
O que se soube,por um dos palhaços,que havia também um marido aflito em busca de sua esposa.
A exuberante e jovem professora, Alegne de Castro,também sumira em um passe de mágica.
Assim como suas roupas e joias,contou o"vivido" marido e também prefeito.


Victor,aos poucos,"se aproximou"de Aline Vienaque,filha do prefeito.Desde o momento que o Bondoso homem,foi chorar os porquês com Regina.
Os circenses,continuaram sua trajetória como nômades,mas não;Regina e Victor.
Naqueles dias de prantos e perguntas,"preencheram" aos poucos a casa vazia do Prefeito.
Á espera de cada dia.
Nolasco,o prefeito,foi pilhéria constante nos dias ainda"úmidos"pela lembrança e o desprazer do abandono.
Os risos e os Cochichares,não o incomodava mais.
O que o tempo não cura,Edulcora.
Um novo amor então...adoça.


Nunca houve um relacionamento assertivo de Aline para com Victor;mas seu primeiro experimento sexual com ela,trouxe uma idealização a ele.
O AMOR,a SORTE ganha em pagamento pelas lamúrias sofridas em um passado recente.
Mas Aline,tinha outros planos.Desde criança,vislumbrava as cidades grandes pelas telenovelas.
A liberdade e as oportunidades do possível em ruas amplas e movimentadas.
Bonitas.
Céleres em acontecimentos amorosos e aventureiros.

Não era como em sua cidade,Rio Servente.
Pessoas das quais sempre conhecera,sempre conheceria, mesmo se um membro da "família vizinha",acrescentasse um novo Herdeiro ao Clâ dos cidadãos.
Rio Servente,não era uma cidade de todo o Mal.Possuìa belas ruas floridas,calçadas com tijolos coloridos;como aquelas de contos infantis ou em filmes de Fantasia;...contava com belas "construções alegres"e uma praça central,impecável.
Um belo e extenso rio,cortava a cidade.Sempre havia casais á sua beira,desfrutando o passar de patos e gansos.
Translados de carros?
Muito pouco.
O bom...,era andar pela cidade pacata e plana.Até os mais velhos usavam e abusavam do privilégio deste lugar.


Em uma bela manhã de verão,assim que Natal passara,Aline foi em busca de seu sonho.
Abraçar o longínquo.
Nolasco havia economizado o suficiente para quando esse dia chegasse,nao houvesse desculpas financeiras.
Regina,não contou ao seu filho,por medo ou por não querer estragar o sonho de uma jovem idealista e cheia de vida que ela tinha muito apreço.Que aprendeu a amar como sua filha.
Aline,abrira seu coração á Regina,nos conturbados dias,de todas as formas.
Ela,Regina,o fez também.
"A FILHA Á PRIMEIRA VISTA".
Sofreria com a reação de seu filho biológico,mas o amor verdadeiro,dá a metade do coração,para cada um.


Victor correu á rodoviária,mas estava três horas atrasado.Nem havia acordado direito quando soube.Ainda permanecia com suas vestes de dormir.
Discutir com o "pobre"senhor que vendia passagens,tampouco adiantou.
Se ajoelhou em frente ao guichê e jurou a si mesmo:
-Nunca mais serei abandonado por quem tanto amo ou necessito.


Após uma semana deitado em sua cama,ora por embriaguez,ora por desilusão;Victor tomou uma decisão ao ver um apresentador de um programa televisivo,anunciar um quadro de mágica.
O truque apresentado na tela,era infantil a seus olhos,mas foi o potencializador para seu levante emocional e decesivo.
Iria em busca da aprimoração e do conhecimento para seus objetivos.
Ser um mágico de verdade.Não como esses amadores que ganham dinheiro e aplausos por algo tão inútil e sem admiração de quem os assiste.

Victor ao se levantar de manhã,com uma pequema mochila nas costas,pega sua mãe e Nolasco sentados á mesa tomando o café matinal.
Surpresos e um pouco preparados na alma,se levantam e o abraçam.
Antes de passar pela porta que o levaria á rua,mesmo com o choro de sua querida mãe,Nolasco pede um momento a ele.
Disse a Victor,que havia algo para auxiliá-lo em sua busca. Em sua Jornada.
Nolasco,vai em direção a um pote de uma pequena estante da sala e retira um pouco de dinheiro.
Diz a Victor que,se acabar...,devido a um roubo ou um imprevisto de enfermidade,ele poderia ajudar com mais um pouco.Ele,Nolasco,estava guardando esse em específico, para um dia,o presentear com um carro.

-AFINAL,é disso que todos nós Homens,sempre queremos em seguida,não é mesmo Victor?

Victor o agradece com um forte abraço.
Nolasco o retribui com um bater nas costas.Como daqueles paternos de Boa Sorte, Filho.
Regina,não contou que estava grávida ao filho,para não o pressionar ou tirar sua concentração de sua luta contra a vida.
Victor parte com lágrimas.







Chegando á cidade grande,Victor foi assaltado,levaram sua mochila enquanto dormia no metrô.Perdeu seu dinheiro ao sair com uma mulher que supostamente mostraria um lugar para ele passar á noite,mas não antes de pagar uma bebida a ela em um bar descolado como ele.
Palavras dela.
Dormiu no balcão devido a um homogenizado colocado em sua bebida,sem que ele percebesse.
O chamado:"dorme caipira".
Victor,foi arremeçado na rua por não poder pagar apenas uma bebida.Mas não seria chamado a polícia,
visto que,quem o serviu,estava na "jogada" quando Victor,sem querer,mostrou o montante de dinheiro aos dois.A mulher e seu"sócio noturno"de caça-trouxas.
Victor ainda estava muito sonolento.
O dono do bar,desmentiria qualquer acusação perante á lei se Victor o contrariasse.
o acusando de roubo ou qualquer dano á sua pessoa.
Ao acordar,Victor teve somente uma certeza,jamais ligaria para Nolasco.
Jamais.

E Aline?.O que diria quando soubesse do acontecido ao ligar para casa pedindo as novidades familiares.
-Sabia que era um fracassado!.Por isso não quuis ficar ao seu lado;imaginou Victor ainda dopado.
No dia seguinte,totalmente recomposto,surgiu um problema comum a todos os seres vivos.
Alimentar-se.
Mendigou.Roubou de pequenos supermercados,fez o que podia,até decidir se voltaria de carona ou a pé para onde o circo estivesse.
Lá no circo,nunca mais,nunca mais,passaria por isso novamente.
Andou e pensou,...até a noite se apresentar.
Em uma parada de caminhão,apanhou de um cafetão,por estar"incomodando sua funcionária",sem dinheiro para gastar com ela.
Fazendo com que ela,perdesse clientes.
Victor,apenas conversava com ela,sobre um suposta carona;se ela poderia apresentá-lo a alguém de sua confiança que iria em uma certa direção.
Victor foi levado ao Hospital pelos sensibilizados caminhoneiros;que detestavam a figura do "Boléia",o aproveitador e protetor das"moças da noite".

Quando recebeu alta no dia seguinte,começou a fazer truques de mágica a umas crianças que aguardavam sua vez de se consultarem.Cabisbaixas
 nos colos de seus Pais.
Essa percepção,veio um pouco antes dele passar pelas porta automática do Hospital.
Foi apenas um virar de cabeça que lhe deu esse esboçar para com a alegria alheia e "desprotegida".
As mágicas,vieram,com os Pais ou com os que aguardavam próximos ás crianças. Com qualquer coisa que tinham em seus bolsos ou em suas sacolas no chão.
Alguns,deram gorjetas a Victor.Como Victor não possuía um chapéu,ou uma cartola que seria mais apropriada á sua profissão,ofertou seu tênis como coletário.
A atendente hospitalar que pode acompanhar a manhã divertida,questionou Victor,sobre uma suposta apresentação para os funcionários do Hospital.
Se apresentar em uma festa que aconteceria em dois dias.Seria uma celebração pelo Hospital ter ganho uma das melhores notas do Estado
Da qualidade no atendimento e de profissionais altamente gabaritados.
Votação pública e aberta,se alguém quisesse a procedência da escolha dessa premiação.

Victor aceitou.
Também conseguiu um lugar para ficar após explicar á senhora que o convidou,sua situação.
De trabalho em trabalho,Victor conseguiu morar em uma pensão confortável.
Bom chuveiro.Boa comida.Boa cama.
O que mais poderia querer alguém que iria caminhar ao desconhecido das estradas até o; encontrar do circo.
Assim como as horas,os dias e os meses,voam.
Com um dinheiro"sobrando",Victor pôde ir a um show de mágica,"de verdade".
Daqueles caros e espetaculares.

O FANTÁSTICO:OFRANUS.

Gastou todo seu dinheiro para estar na primeira fileira.
Durante a apresentação de quem quisera espelhar-se,Victor começou achar aquilo tudo;Impossível demais.
-Materialização de animais em lugares Aonde não caberiam?
-Frutas sendo criadas do nada?
-Partes corporais sendo desmembradas diante de seus olhos?

Victor poderia ser um rapaz humilde de criação,mas a arte do impossível,ele saberia reconhecer á distância.
Não,aquilo não era truque.
Precisaria de mais pessoas para o ajudar a executar tamanha perfeição.
Um"mágico"solista com tamanha destreza?
-Seria um paranormal?

Após a apresentação,Victor esperou o seu ídolo surgido naquela noite,do lado de fora do Teatro.
Não houve qualquer chance para ele poder conhecê-lo pessoalmente.
Os seus seguranças,não deram qualquer brecha,nem mesmo se ele fosse um camundongo.
Victor,em todas as noites das apresentações,agora sem dinheiro,esperava Ofranus do lado de fora.
Nada.
Conseguiu em uma noite,ouvir através de um dos seguranças,o hotel aonde Ofranus iria repousar.
Foram dois dias á espera,agora,não mais nos dias de encenação.
Mas sim,quando o mágico saía do hotel.Calmamente para caminhar ou levar seu gato para passear.
A primeira tentativa fracassou.Na segunda,conseguiu o seguir de táxi no último segundo.Quando Ofranus subitamente entrou em um carro.
Chegou a um lugar chamado Magician.
"um ar estranho"envolvia aquele lugar.Algo que se sentia na pele e em seu Ser.
Pela entrada principal,jamais passaria.Notou a apresentação de um cartão brilhante ao porteiro.
Por uma janela de um banheiro dos fundos,conseguira entrar.

Mulheres nuas servindo bebidas,"seres estranhos",sexo entre os presentes,a visão de Victor,não processara tamanha surpresa.
Com o capuz de sua blusa,escondeu parte de seu rosto.Caminhou até a mesa de Ofranus.
Ele estava sozinho,com sua bebida e seus pensamentos.
Victor se sentou e o chamou de MESTRE.
-ME ENSINE SER COMO O SENHOR!

Ofranus acendeu seu charuto e disse:
-Ousadia e coragem,você têm.
-DESPREENDIMENTO E O NÃO ARREPENDIMENTO,VOCÊ TAMBÉM OS TÊM?








"Todos aqueles que usam da Negra Magia para o aparente sintético,serão expostos por suas retinas felídeas.
"Deverão usar lentes das cores dos próprios olhos para ludibriar seu público e as íris eletrônicas"























By Santidarko

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Desprofetize-se

A quem:

o perdurar do desamor
o arrancar da Alma
a insensatez de uma existência
a sortida enfermidade
a mão amiga cerrada
a amargar simbiose
o desfragmento do sexual desejo
o dissabor alimentar
o merecido roubado ou esquecido
o belicoso
O flagelo vigente
o vício latente
O decomposto de um simples querer
O diviso amigável
o abraço recusado
o beijo incompatível
o zombar alheio
o distúrbio despersonalização

o deitar carente
destituído

O locomover noturno caseiro
incessante

O sonho contaminado
lesivo

o levantar faltoso
desabastado

o embate perdido diante ao Mundo
sumário

o sublinhar de alegrias em Ruas
o deslocar confuso
o lugar inexistente
o dirigir sem rumo
o esquecimento celeste
os olhos coibidos




o prestes
a pressionar...
"saída de emergência"



NÃO DESISTA
NÃO DESISTA
NÃO DESISTA
NÃO DESISTA
NÃO DESISTA
NÃO DESISTA






By Santidarko

sábado, 15 de setembro de 2018

Avocário-O Púlpito das Preces


Avocário=lugar designado para avocar/invocar entidades ou pertencentes ás forças.
Lugar comum preparado especialmente para o Elejo.
Elejo esse que se espera obter favores e concessões.Barganga de interesses mútuos.Do aclamado ao solicitante.
O Anfitrião e/ou orador,deve se posicionar ao centro do círculo.Os demais,o cercam de forma circular.Não há uma regra ou contexto de posições.Ou seja,em pé ou sentado.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------





Em uma noite fria,na qual as velas não se mantiam acessas para o culto enfoque,disparate ocasionado ao vento imparcial e pouco melindrado a Humanos e seus devaneios de grandeza,Elenom 
Dumarte,cometeu seu segundo erro.
O primeiro,foi seu acaso azar em ter colocado suas mãos no livro dos Adorathes.
Ensinamentos/Ideologias pagãs a almas de decontentamento com Conjunturas terrestres.
Desdita comum a qualquer ser vivo.

Jovem de família abastada que procurava emoções e conceitos novos para a adrenalina e quebras de mitos perante seus amigos e seguidores em suas festas regradas de autoafirmações e egocentrismos.
A Pecúnia de sua família,deu a ele,a chance de comprar esse encadernado"escondido"atrás de uma estante em uma loja chamada;o Brechó dos Despertencidos.


Sua entrada á loja,não passou de um mero foco no interesse da admiração refletida nos olhos de sua namorada;Bárbara Vosgrano.
A Bebéia;para todos do grupo de escopo"nobre".
Mesmo sendo advertido pela vendedora sobre o que segurava com um tom de desdém..,enquanto Intelectualizava para com sua ruivinha risonha de minissaia,blusa caída em um dos ombros e um salto que denotavam seus cultuados pés de princesa;aliás,ela era modelo de pés.Todo catálogo de sandálias,chinelos ou de saltos,a procuravam para estampá-los em suas páginas.Na maioria das vezes,usavam outros rostos,mas isso não tirava dela sua autoafirmação como uma modelo.


Realmente,o livro era lindo,um entrelaçado de folhas abertas e grandes,bem verdes;a julgar pelo tempo de existência ou confecção.Elas compunham a capa como se fossem artificiais.
Não havia papel embaixo ou de suporte para sustentá-las,elas,as folhas,eram a própria capa.
Nunca se vira um trabalho tão majestoso e artístico que alcançaria a quaisquer olhos, o título de obra-prima.
Alguns diriam,que tamanha perfeição,era de caráter duvidoso.
Não cunhado nesse plano.

Elenom,apenas o comprou,pelo preço e por achar que seus"amigos"de porte Titular,de estirpe acadêmica,o reconheceriam,dentre tantos atributos contidos em sua mente...,um esportista sem medo,um modelo que não optou em seguir carreira(segundo ele mesmo)e,acima de tudo,um conhecedor de arte.
Claro,a namorada de "revista"e seu carro visto pela maioria,somente em filmes ou em feiras de automovéis...
Em sua Psiquê,em seu ID inflado,TODOS almejariam ainda mais ser ele.
O ESCOLHIDO da perfeição.


AGORA,um manuseador ocultista.Resulta própria de pensamento.
Mesmo a senhora da loja,tido a coerência de tomar o livro de suas mãos.Três vezes,para ser preciso e exato ás chances que teve.
Mas a"pobre"atendente do brechó,ao ver sua pequena filha carecendo de sapatos novos,não pensou em recusar algo do qual o cliente ofertou o triplo.
Antes de nós,OS FILHOS.
SEMPRE.


Mas em suma direta,o que um jovem em inversa situação,ainda não completara no ter.
Em humilde opinião,eu diria... a fama e adoração em sua existência.
A comtemplação ou a idolatria em seu SER.
Legado,é para quem cria,dispôe algo á humanidade;ou,deixa ensinamentos fertéis.Não para quem quer ser bajulado em um mundo regado a duras custas por si mesmo.


Na noite escolhida,conseguiu levar seus admiradores e penetras fanfarrões;aduladores de seu dinheiro e de seus bens invejados.
Não serviam nem mesmo como castiçais humanos para desvencilhar o vento das velas que não poderiam apagar durante o ritual.
Alguns,consumiam intorpecentes e proferiam nomes da Estrela invertida,como zombaria.
Debiques.


Uma banda de Rock que chegara despercebida por todos,com seu amplificadores situados atrás de suas caminhonetes e,intitulados de"Lava Lacrimosa",os interrompeu com suas guitarras"pesadas" e seu vocal avassalador.
Cantando:A Noite Druida.
Desastre total.
O ritual cumpriu o declaro oposto.
Mãos sairam do chão e começaram a puxar os participantes envolvidos.


Elenom,aparentava não entender algumas passagens do livro enquanto o consultava.
Assim sua namorada interpretou quando o questionou.Algumas pessoas ao seu redor,o mesmo desfecho cerebral
Pouco a pouco,todos foram sendo sugados ou despelados.
A gritaria,daria inveja aos amplificadores potentes de última geração.

Mas não se engane,Elenom,seguiu cegamente o que planejara.
Apenas salvou sua namorada,puxando-a para uma proteção junto a ele.
Refúgio feito com Sal e pó de serra de madeira previamente benzida.Restos de bancos de igreja vendidas ou jogadas para a colocação de novas em uma paróquia.
Inserção CALCULISTA.

A adoação espontânea dos outros;HOUVERA.
Niguém deslocado á força até o local,ninguém arrastado com promessas lisonjeiras de amizade.
Todos levados por si próprios.


Barganha concretizada





By Santidarko