quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Após O Escurecer


I-As Freiras em Dia De Verão



Era um Verão;para se pagar as penitências.Segundo as freiras do Convento "Luz do Verdadeiro Caminho".

Todos as internas,as meninas"deixadas"pelos seus Pais,para que pudessem tomar um rumo na vida;que,não necessariamente,seguiriam"a predileção do Clerical","mais tarde";ou aquelas que optavam pela chance de se poder estudar em um local de qualidade,pois não eram de uma classe social favorável para tentarem uma vaga em uma Universidade Pública Conceituada,mas com um ensino superior a muitas escolas,seriam candidatas à altura nessa concorrência;riam da janela de seu quarto,ao ver as Bondosas senhoras no jardim,abanar seus longos Hábitos.
As "fogosas Freiras" do"Luz do Verdadeiro Caminho"


-Qual seria a primeira Irmã a dizer"Rogas de Praga""ao Dono da terra do Fogo",intempéries ditas em alto e bom som?;Perguntou Agatha

-Oras,será a Irmã Orilla,A FRICOTEIRA do Convento;respondeu Felícia.
(*Risos de Todas no quarto)e,voltam para suas camas.

Há batidas de martelo em cima de suas cabeças.É que alguns Homens,fazem consertos no telhado.
Esse som,além de ecoar alguns instantes,as distraem por alguns momentos.


Agatha,Felícia,Madiana e Lucena.Essas eram as jovens que dividiam o mesmo aposento no internato.Se você entrasse pela porta do quarto delas,veria uma grande janela à sua frente.
No Beliche á esquerda da janela;Agatha e Felícia;á sua direita;Madiana e Lucena.
Eram um Domingo,o único compromisso que tiveram,foi a Missa que começou às Nove da manhã e terminou ao Meio-dia.
Agora são;Treze Horas.
Já faz uma hora que estão no quarto.Estão somente com sua roupas íntimas.
O uniforme,foi tirado para que elas não o sujassem.
Amanhã,para a sorte de Todas,aliás,de todas as internas do Patronado;será Feriado.
Era o aniversário do fundador,o saudoso Frei Sebastião.
Feriado somente no internato"Luz do Verdadeiro Caminho".
Sem aulas e sem estudos "Paralelos".Sem afazeres ou tarefas de limpeza na cozinha ou nos Cômodos.


(*Toc Toc Toc).Três batidas suaves na porta e entra no quarto a Irmã Felicidade.
Felicidade,tinha esse nome,devido ser filha de um Pai e uma Mãe Hippie.Ela entrara no convento,em sua época adolescente,pela vontade de se seguir"o caminho chamado".
Hoje com seus Cinquenta anos,ainda acha que foi a melhor decisão de que tomara em sua vida.

-Olá meninas,o que farão de especial hoje?;perguntou a sorridente irmã ajeitando seus óculos.


As meninas que;estão deitadas de bruços,descalças e seminuas,lendo revistas sobre televisão;outras pintando as unhas dos pés,respondem;
-Não sabemos ainda.Estamos nos Preparando para o Almoço,logo iremos descer Irmã.
-Esses Homens do Telhado,estão nos irritando também.

Pintar as unhas dos pés,não era proibido,pois suas longas meias com seus sapatos fechados,jamais denotariam um extravagante gosto ou um repúdio diante das Irmãs ou da Madre Superior.
As unhas das mãos;isto,não era permitido.Seria um afronto ás regras e ás suas colegas de respeito imaculado.


-Como consegue ficar dentro desse Hábito,no pior Verão de TODOS os tempos Irmã Felicidade?;perguntou Madiana.

-Ora,minha Filha,somente Deus tem essa resposta;respondeu a simpática Felicidade folhando uma das revistas das meninas.
-O que Deus deve me perdoar,é esse prestativos homens arrumando o telhado e me deixando louca também.
-Perdão,por eu ser tão enfastiante também.


A Irmã Felicidade termina de folhar a revista que chamara sua curiosidade e, diz a elas,que elas têm,no máximo ;vinte minutos para se arrumarem e descer ao refeitório.
O almoço em comemoração a Frei Sebastião,seria Hoje.Amanhã;orações e agradecimentos a esse Homem;mas somente nos quartos.
Seria incivilizado da parte delas,se atrasar;reiterou Felicidade.
Fazer com que as outras meninas,as esperem para iniciar o Discurso de agradecimento ao Frei e dar continuidade com o Tão esperado Almoço.
Seria uma refeição especial.Comida,como essa no"dia de hoje",doces e salgados de Festa,nem mesmo se repetiriam no Aniversário da Madre Superiora;Inridiana.

-Se apressem;ordenou Irmã felicidade ao fechar a porta do quarto das meninas.


Celulares nesse Convento,JAMAIS.
Computadores,somente na área de estudos.Cada máquina,era dividida por quatro meninas ao mesmo tempo,nem sempre amigas;Se alguma quisesse olhar algo que não condissesse aos estudos,alguma interna arrazoada,sua colega na divisão;seria testemunha de sua falha para com a escola.


O uniforme das meninas era:uma camisa social branca com mangas longas,que poderia ser dobrada em um dia quente;uma gravata preta,uma saia azul que batia nos joelhos,meias longas que chegavam aonde a saia acabava e,sapato social preto.
Mas hoje,NÃO.
Seria com a roupa que cada uma havia trazido consigo quando chegara ao"Luz do Verdadeiro Caminho".
Mas há de se convir;ROUPAS INDISCRETAS E "OFENSIVAS";seriam abolidas com uma grave Penitência a se pagar com a Madre superior.

As meninas se arrumam e saem do quarto.
No corredor,elas veem várias das outras internas conversando e se divertindo em suas conversas pessoais.
Agatha,não deixa de notar algumas das Madres,em frente ao ventilador de parede,paradas,"tomando forças".
Como de costume nesse dia,essa era sua diversão.Era o que lhe ocasionava risos e comentários para com suas amigas.
Mas as meninas,estavam com roupas próprias para um dia como esse."Roupas Dignas",mas,menos"castigadora em relação ás"Pobres"Irmãs.

"A escola",era mantida com verba do Estado e de doações,uma parte,também vinha da igreja;mas,ar condicionado,era um luxo que poderia ser dispensado.Havia outras prioridades.Como:materiais escolares,Remédios e Comida.

As quatro,continuam seu andar até chegarem á escada que as levariam a um "Hall de Entrada",depois a corredores que tinham demais destinos no Prédio.
Elas seguiriam pelo caminho que as levariam ao refeitório.







II-Felicitações ao Generoso Anfitrião Póstumo





Ao chegarem ao refeitório,elas constatam,que ele;já estara"lotado".
Aproximadamente,duzentas e vinte meninas,falando e dando risadas ao mesmo tempo.
Agatha,Felícia,Madiana e Lucena;se sentam juntas.
Não era obrigatório se sentar somente com as colegas de quarto nas refeições.É que elas;tiveram"uma conexão"quando se conheceram em seu primeiro dia.Após todas se encontrarem no aposento.
A seleção de quem dividiria o quarto com quem,foi feito em um sorteio.Diante de todas as meninas.
Essa conduta,foi praticada na sala de Palestras.A própria Madre Superiora,tirou o nome de cada estudante de uma urna fechada.

O que não era consentido a colegas de quarto,é se sentarem juntas ou próximas:durante uma prova ou de"estudos especiais".Como aprender informática ou em aulas de culinária.Em algumas outras"lições",sim,mas essas em específico,NÃO.

Inridiana,a Madre Superiora,toca um sino.Era hora de se começar a festividade.
TODAS a meninas se calam em sua mesas.


Após a um discurso emocionado e alegre,se começa uma oração de agradecimento ao Frei Sebastião.
Á sua obra e caridade.Á sua visão de se construir uma escola de respeito.
A valorização ás mulheres que querem estudar ou se encaminharem.
Algumas das meninas,também falam no parlatório.Dão sua Homenagem ao Frei e a esse dia especial.
Letícia,"A Purulenta",segundo algumas das meninas,conduz uma parte da cerimônia;enquanto a Madre Superior e outras de suas colegas Irmãs,estão sentadas em suas cadeiras.Todas as que se pronunciam,e as Madres,estão;em uma espécie de Tablado no Refeitório.De frente para todas as outras meninas sentadas á mesa.
Letícia,não tinha nenhuma enfermidade á mostra,esse era um apelido que suas colegas estudantes,colocaram,por ela ser a "QUERIDA"de Inridiana.A "Toda Poderosa" Superiora Madre.
Letícia,almoçaria,junto com as suas docentes.Em uma mesa"especial".

-Até que enfim,FIM do Falatório;exclamou Felícia.


Agora,era hora de comer.De aproveitar a"bela comida".
As meninas,Agatha,Felícia,Madiana e Lucena,também interagem com suas colegas á sua frente e ao seu lado.
Perguntas,"lembranças de estudos",curiosidades.De Tudo se conversa com ás demais.

Agatha,sempre fora a menina mais observadora entre as suas colegas de quarto;ao pegar um pastel na mesa,desvia seu olhar ao tablado,aonde se situa a mesa de Madre Inridiana e das Irmãs;por uns segundos.
Ela e suas Colegas de Quarto,estão próximas ao Tablado.
Ninguém,gostaria de se sentar tão perto assim de Madre Inridiana,mas como chegaram"atrasadas",esse,era um dos lugares vagos para se"acomodar".
Sem querer,constata que Letícia,faz um sinal com a cabeça para uma das meninas que estava sentada á sua frente.
"Uma linguagem",uma gesticulação;de AFIRMATIVO.
Ao"se perder"nessa percepção,derruba seu pastel;em seus pés.
Enquanto pega seu Pastel no chão,a oportunidade de olhar por debaixo da mesa,lhe é ofertada pelo acaso.
Agatha,atenta que,as meninas da mesa,as que estão sentadas á sua frente,por debaixo da mesa,passam uma chave para outra.E para outra e mais outra.Seis mãos diferentes,a Têm(*a chave);nesses breves segundos.


(*Agatha,não sabia,mas essa chave,veio do Tablado.Letícia,"provavelmente",a tirou de uma das Irmãs.Do Tablado á mesa,era uma distância pequena;mas,o seu jogar até a sua"recepção",por uma das meninas,foi tão rápido,que ninguém percebera.Duas meninas:Felícia e sua "rebatedora",dariam inveja a muitos jogadores profissionais de Beisebol/Basebol)










III-Alguém do Céu,tem a chave do Inferno


O que Agatha viu,era incontestável.Um axioma.
Enquanto ainda pensa sobre o testemunhado,os segundos que pareciam minutos,sente um toque em seu Cóccix/Cóquis.
Era uma bondosa freira perguntando a ela,o que havia acontecido.


-Está se sentido MAL MINHA FILHA,FOI A COMIDA?;perguntou a freira com empatia a ela.

-NÃO Irmã,derrubei meu pastel,mas eu o peguei,porque não se deve jogar comida fora,isto é pecado;respondeu Agatha.

-TUDO BEM,minha filha,não se preocupe com isto,dê ele pra mim que eu darei um "destino" a ele.Vou rezar pedindo perdão a Deus por jogá-lo fora;disse a Freira.
A Freira pega o Pastel e se desloca á cozinha.


Ao voltar á sua posição ereta na mesa,Agatha,percebeu que as"meninas da chave",sabiam que ela havia visto.
Suas amigas,de Agatha,sequer se deram conta do ocorrido.Estavam ocupadas demais.Comendo e se divertindo.
Agatha,voltou sua atenção á suas colegas de quarto,no intuito de se desvencilhar"das infratoras".De seus olhares e comentários ao"pé do ouvido".
Uma boa jogada da parte dela.
Com o passar dos minutos,as meninas do"delito",não mais se preocuparam com ela.
Mas Agatha,enquanto comia e ria normalmente,tinha em seu pensamento:

-O que é essa chave,para que serve?
-O que será,o que será?MEU DEUS.

De tanto pensar e pensar,teve um "ensejo de raciocínio".O que parecia insolúvel,não era tão indecifrável.
-Era uma "chave Mestra".A chave que abre qualquer porta daqui.Da escola.só pode ser isto;resolvera a detetive Agatha.
Mas ainda continuou a pensar.
-Mas para quê?O que elas fariam com ela.

Outro mistério havia se apresentado a ela.Esse,era maior ainda.
Esse,nutria ainda mais sua curiosidade.

Duas horas após o sucedido e,o almoço,dava sinais que acabara.Madre Inridiana,mostrara que iria se retirar.
Inridiana,faz um gesto de agradecimento a uma foto de Frei Sebastião que estava no centro do Tablado.
Uma foto enorme.Colocada especialmente para esse dia.A foto,costumara ficar no Hall principal da escola.
Claro,cada classe;havia também uma pequena foto dele.
Letícia,a estudante"Fiel",acompanhara Inridiana para ajudá-la em suas necessidades.Se iria precisar de algo para descansar.
As Irmãs da mesa,também indicavam que era Hora de todas as meninas irem pro jardim ou para procurarem algo para se fazer.
A limpeza da festa,ficaria ao encargo das Irmãs.Se fosse em um dia normal,sem uma festa especial como esta,as meninas;que seriam as incumbidas de limpar o após almoço.

Agatha se levanta da mesa e diz para suas colegas de quarto,para a acompanhá-la até o quarto delas.Precisava de ajuda,pois estava um pouco enjoada.Havia comido demais.
CLARO;que isso era uma desculpa para contar a elas sobre o que ela havia presenciado.
Todas as meninas,vão com ela acreditando no fato dito.
Quando chegam ao quarto,Agatha diz a todas;a verdade.
Felícia,Madiana e Lucena,começam a divagar sobre as possibilidades.








IV-O Segredo,nasce ao Lado



Depois de muita especulação entre elas,uma expectação era Plausível.
Seja o que for o que haviam tramado,sua execução,seria á noite.
O que haveria de ser feito agora,seria,que algumas das meninas do quarto,seguissem as principais suspeitas.
(*Quem ficara com a chave e Letícia.)

Lucena,levanta um ponto pertinente:
-Por que isso é de nossa conta AFINAL?

Agatha então;responde com outra pergunta:
-Você não gostaria de saber o que está acontecendo embaixo de nossos narizes?

Lucena,na verdade,estava até mais curiosa do que todas as meninas juntas,mas seu maior medo,era que essa questão em particular,levasse á sua expulsão.
De todas elas;no pior do desfecho.
Lucena,NÃO poderia perder"a bolsa"e enfrentar seus Pais com essa vergonha.De se meter em um problema alheio que nem mesmo envolvia á defesa de alguém oprimido.

Ficara então decidido,depois de muita conversa e opinião,que Felícia e Madiana,seguiriam algumas das meninas.
Desceriam para o Jardim ou para o Pátio,não importava aonde as garotas estivessem,ficariam de olho em qualquer movimento delas.
Agatha e Lucena,iriam ao refeitório oferecer ajuda ás Madres.Ficariam de olhos e ouvidos bem abertos com suas"andanças"permitida entre elas.
Qualquer comentário,não seria ignorado.

Seis Horas da Tarde,chegou o Horário de que todas as meninas tinham que tomar banho e se dirigirem a seus quartos.
Três horas,perseguindo e espionado as futuras"criminosas".
Trêas horas limpando a cozinha com as Irmãs.

Quando todas chegam ao quarto,o relatório e observação de cada uma,é divido.
O cansaço de todas,é iminente.De ambos as duplas.
Andar na função de se concentrar e supervisionar pessoas,é muito desgastante;Limpar restos de comida e enxugar pratos;ENTÃO...nem se fala.
Comentários ouvidos quando todas estão"quase mortas"em suas camas.

Agatha,quase dormindo,pergunta ás outras amigas nas mesmas condições,um detalhe:;
-E o Guarda,seu Joaquim,como elas e nós,vamos Burlar seus atentos olhos:

-Nem sei,como vou burlar os MEUS;retrucou Felícia,quase cochilando.
-Coloque o relógio para despertar Meia-noite Felícia;completou Madiana
-Por que nesse horário?;questionou Agatha


Então Madiana se levante e pede a atenção de TODAS.
Começa a dizer a verdade.

-LEMBRAM QUANDO EU DISSE QUE ÉRAMOS AMIGAS?Pois é,eu não menti.




As meninas estão todas atentas á suas explicações.
Então,Madiana continua:


-Eu sei porque elas queriam a chave.TUDO começou,quando o Irmão de Lara,a menina que ficara com a chave no refeitório ;veio visitá-la.Geralmente,a Madre superior,não permitiria sua entrada.Apenas aos Pais dela.Mas Lauro,apresentou alguns documentos,que mostravam,que ele;tinha poucos dias de vida.
Que ele gostaria de ver sua Irmã,o mais breve possível.
Inridiana,se Solidarizou plenamente com ele.

-A Família de Lara,também faz doações"bondosas"á escola.Isso o ajudou a ter mais atenção ainda.
Passeando com Lara pela Escola,Lauro propôs algo grotesco e Irrecusável á Lara.
Se Lara o ajudasse em seu Plano sórdido,ele transferiria á sua conta,uma pequena fortuna.
Tudo que ela precisaria fazer,era ajudá-lo em sua fantasia.torná-la real.
-Mas teria que ser no dia de Hoje;"um dia especial".

-Com o dinheiro em sua conta,Lara,"comprara" Letícia com seu plano.Letícia,apenas tinha que abrir uma conta em seu nome e,constatar que seu dinheiro,estara lá.
Letícia não iria recusar tamanha quantia.Ela precisava garantir seu futuro e comprar algo para seus Pais.Não sei bem essa parte.



-mas continuando..

-Letícia,tinha que pegar a chave e dar á Lara.
Lara,a jogaria por cima do muro.Alguém do outro lado,a aguardava com uma espécie de Massinha ou algo do tipo,como uma barra de sabão,não sei ao certo de que material era,mas essa pessoa,tiraria a cópia da chave,colocando-a no pequeno bloco,deixando sua "impressão,com os dois lados da mesma chave.
Não entendo como se faz isso.

-Por isso Letícia acompanhou a Madre Superiora,ela havia dado sonífero a ela,uma pequena quantidade,para que não sentisse falta da chave em seu escritório.
O sonífero que ela colocou na água da Madre;era Inodoro,incolor e insípido.
Com a desculpa de pegar algo no escritório para Madre que repousava,ela teria a chance de colocá-la no lugar novamente.A CHAVE.




Agatha INTERROMPE a explicação com uma observação.
Ela contara,que agora;entendera porque Letícia fora á cidade e ao banco,com a desculpa de renovar sua plano de saúde.Que temia uma doença mais grave e não ter condições de arcar com as despesas se precisasse.
Ela iludiu as Madres naquele dia,dando a elas dinheiro e uma tarefa enquanto ia ao banco.
Sabia disso, porque a ISABELLE do quarto ao lado, disse a Todas em um dia;que Letícia comprara condimentos para a cozinha.Era um feito mais do que Grandioso; segundo a Isabelle.
Agora ,entendera a bondade de Letícia.
-Por favor Madiana,continue.




-Então...;
-A parte mais elaborada,vem agora.Os homens no telhado,estavam colocando sonífero na água.Com uma espécie de Timer,seria liberado ao poucos,a partir das seis horas da tarde.
Para que o efeito dele,não fosse imediato.
-Letícia,também,fizera sua parte no dia anterior,visitando a cozinha e jogando um pouco dele nas massas e doces.


Agora;é Felícia que a interrompe.
-Por isso,estou me sentido meio sonolenta,bem mais do que o habitual nesse horário.
-Mesmo nós,que temos que dormir ás oito horas da noite.
-Sabia;que não era a comida ou o cansaço á festa.Ou o Sol,quando ficamos andando,seguindo as meninas
-Eu havia visto,um Homem no andaime,derrubar uma espécie de saco com um pó.Ele tentou disfarçar escondendo-o de mim.Lembro claramente,dele receber uma repreensão de seu colega.
-Mas por Deus,por que tamanha trama de filme Americano.Qual a finalidade disso?


Madiana volta seu olhar a Todas,como se algo grave,viesse AGORA.
Respira bem fundo e toma coragem.
Começa a falar:
-Lauro,realmente está doente.Mas antes de"partir",mesmo não sabendo "seu dia" ao certo,mas que estava chegando;queria realizar sua Fantasia Sexual.
-Transar com a meninas de um convento,no Próprio convento.
-Dividir essa experiência,com seus amigos.Uma festa de despedida
-Ele queria meninas bonitas e que fizessem seu "gosto visual".Seu tipo.
-Eu fui uma das meninas chamadas por Léticia.Para participar e receber "uma Bolada".
-Ao todo,vinte meninas escolhidas para Lauro e dois de seus Amigos.
-Para o Deleite deles.







V-Á noite,Nem Todas As Estudantes São Pardas



Agatha,começa a dar um indício que irá vomitar.
Fica de joelho no chão.Sua cabeça,está abaixada.Se levante e foca seus olhos em Madiana.
A questiona.
-Mas se você comeu na festa e, bebeu a agua,como poderá ir se está sonolenta?
-E o guarda,seu Joaquim?


Madiana a Responde:
-Eu tenho um antídoto para os efeitos do sonífero.
-Quanto ao "Seu Joaquim",ele irá fazer uma longa viagem á Europa com sua esposa.


Agatha e as meninas,se enojam um pouco.

Agatha pergunta à Madiana se ela irá?Se ela está disposta  a se vender a Lauro e seus amiguinhos riquinhos?

Madiana com o pequeno vidrinho do antídoto em suas mãos,responde:
-Lauro ,é um rapaz muito bonito,é uma pena que tenha Câncer.
-Quanto ao"se vender",não me importo com essa conotação,AFINAL,quem não se vende nessa vida?
-Além do mais,gastei parte do dinheiro dando a meu irmão,um computador que sempre quisera.
-Sim,eu vou.

Madiana ,toma o antídoto antes que Agatha pudesse  o tirar de suas mãos.

Agatha,Felícia e Lucena,já estão"muito moles",sem reflexo e forças devido ao sonífero.

Agatha ainda faz suas últimas perguntas;
-Aonde será essa orgia?E vai valer a Pena?

Madiana responde;
-Será na sala de Palestras.
-Se valerá a Pena? 
-Nenhum Homem vale,por isso,quero ganhar algo valioso "deles",pelo menos uma vez na vida.

Agatha,Felícia e Lucena,adormecem.
Madiana ,tira o sapato de suas Amigas,as cobre com carinho.Arruma seus travesseiros 
Agora,faltava aguardar em sua cama,como  se estivesse dormindo também.Caso alguma Irmã,fosse ao quarto delas.
Onze horas no relógio.
Madiana se levante e começa a se arrumar.
Põe seu uniforme como o combinado.Era a predileção de Lauro.De seus amigos ricos também.
Sai pela porta e averigua de que não há ninguém no corredor.
Apenas há um Irmã dormindo em uma cadeira próximo ao quarto delas.
Nada preocupante.

Ao descer as escadas,encontra Letícia com um susto.Como se havia sido pega.
Letícia,escondida como uma cobra,apenas pergunta a ela,se ela estava pronta.
Com uma filmadora nas mãos,conduz Madiana á seu destino.A sala de Palestras.
Outras das meninas,também se juntam a elas no caminho.

Lara,a irmã de Lauro,está parada na porta ,diz a todas que entram,que haverá um bônus se algumas não forem"chatas"durante a festa.
Bastava ,serem generosas com as suas duas horas vendidas,ou seja,sem arrependimentos e sem" Puritanismos";
Se isso ocorresse,na saída,tinha dinheiro vivo ou transferência online de dinheiro,dependia do gosto pessoal de cada uma.

Letícia entra com a Filmadora.
De longe,seu Joaquim,o guarda,faz um sinal positivo à Lara.De que tudo estava tranquilo,não havia problemas.
A cereja do bolo,viria em seguida.
Uma das Freiras do convento,a Irmã Beatriz,além de ter sido comprada para assistir,diria "palavras de incentivo" a todos os participantes.
Lara fecha a porta,ficará do lado de fora dela.
"A FESTA"começa.



Lauro,nunca estivera Doente.
Enquanto se diverte com suas perversões,planeja uma outra Fantasia para se" viver".
Talvez,algo com Hospital e Enfermeiras.
Isso dependerá; de como esse "novo plano",precisará ser elaborado.

FIM




By Santidarko

Nenhum comentário: